Nova Ordem Mundial

Revelando a Conspiração Mundial

Rússia descobriu drogas duras no barco de Greenpeace

Send to Kindle

Parece que a organização financiada por Rockefeller e Shell, que ganhou toneladas de dinheiro mentindo sobre a “alteração climática” para que a família Rothschild se apodere do negócio do carbono, fornece drogas duras aos seus “ativistas”. Os simpatizantes e membros desse grupo provenientes de Argentina, viajam ao estrangeiro apoiando falácias e palhaçadas sem evidência científica, enquanto fogem das Marchas Contra Monsanto.

Na primeira Marcha Contra Monsanto realizada em maio de 2012, Greenpeace brilhou pela ausência. Isso, apesar de Argentina ser o terceiro produtor mundial de transgênicos, destacando-se em segundo lugar com vários desses produtos.

Arctic Sunrise

Em Argentina, 90% dos alimentos vendidos nos supermercados têm resíduos de glifosato e Monsanto faz mover populações inteiras para expandir seus cultivos, mas os moços e moças de Greenpeace vão a Rússia lutar contra fantasmas.

Todos os diários publicam a notícia dos jovens presos no exterior, Greenpeace aumenta a sua publicidade, entretanto ocultam em Argentina o maior problema ambiental da história: Monsanto.

Também não se viu Greenpeace na grande marcha de Córdoba, nem participando no bloqueio de Malvinas Argentinas.

Agora, as autoridades russas encontraram “substâncias narcóticas”, entre elas morfina, a bordo do barco “Arctic Sunrise” em que 30 “ativistas” realizavam um protesto antes de ser detidos faz três semanas.

Os especialistas russos encontraram drogas no barco de Greenpeace em que 30 “ativista”s foram detidos após a tentativa de se  apropriarem duma plataforma petrolífera no Ártico, onde o gelo tem avançado de maneira significativa nos últimos anos. Apesar disso, contra toda a prova científica, os “ativistas” proclamam que foram “salvar o Ártico porque se está derretendo”. Rússia apresentou acusou judicialmente de pirataria cinco membros de Greenpeace. El grupo foi detido a bordo del barco ‘Arctic Sunrise‘ quando regressava dum ato de protesto na plataforma Prirazlómnaya.

Enquanto o gelo continua a avançar e o Ártico melhora, as águas oceânicas contaminam-se com mais e mais glifosato. Mas parece que isso “não importa”.

Autor: Celeste Fassbinder
Twitter: @CelesFassbinder
Fonte: BWN Argentina

Send to Kindle
More from blog
Voltar ao início