Nova Ordem Mundial

Revelando a Conspiração Mundial

Daniel Estulin: “O Clube Bilderberg pretende controlar o sistema financeiro mundial, ao modo feudal”

Send to Kindle

O conhecido investigador e escritor Daniel Estulin, declarou no programa “Desde a sombra”, transmitido pela cadeia de notícias RT que “o capital financeiro mundial, com o Clube Bilderberg à cabeça, tem na sua agenda um objectivo a longo prazo: a criação de uma rede de controle financeiro privado, à escala mundial”.

O referido controle seria exercido de maneira feudal e secreta pelos bancos centrais dos diversos países do mundo, sob orientação do Banco de Compensações Internacional. Segundo Estulin, essa seria a forma de dominar a economia mundial e os sistemas políticos das nações.

Banco de Compensações Internacional e o Clube Bilderberg

Do Banco de Compensações Internacionais, cuja sede se localiza em Basileia, na Suiça, fazem parte os bancos centrais de diversos países:

África:

  • África do Sul
  • Argélia

Ásia:

  • Arábia Saudita
  • China
  • Coreia do Sul
  • Filipinas
  • Hong Kong
  • Índia
  • Indonésia
  • Israel
  • Japão
  • Malásia
  • Singapura
  • Tailândia
  • Turquia

América do Sul:

  • Argentina
  • Brasil
  • Chile
  • América do Norte
  • Canadá
  • México
  • Estados Unidos

Oceânia:

  • Austrália
  • Nova Zelândia

Europa:

  • Alemanha
  • Áustria
  • Bélgica
  • Bósnia e Herzegovina
  • Bulgária
  • Croácia
  • Dinamarca
  • Eslováquia
  • Eslovênia
  • Espanha
  • Estónia
  • Finlândia
  • França
  • Grécia
  • Hungria
  • Irlanda
  • Islândia
  • Itália
  • Letônia
  • Lituânia
  • Macedónia
  • Noruega
  • Países Baixos
  • Polónia
  • Portugal
  • Reino Unido
  • República Checa
  • Roménia
  • Rússia
  • Sérvia e Montenegro
  • Suécia
  • Suíça
  • União Europeia

Acrescenta o referido investigador que “este sistema feudal seria controlado pelos diversos bancos centrais do mundo, mediante acordos secretos estabelecidos em reuniões e conferências privadas”.

A presidenta do Instituto da Banca Pública, Ellen Brown, concorda com a opinião de Estulin, referindo que o Banco de Compensações Internacional foi precisamente criado com esse objectivo.

Segundo essa especialista, “o objectivo final dessa instituição é a criação duma superstrutura capaz de exercer controle sob os bancos e sistemas monetários mundiais, independentemente dos governos“. “A ideia fundamental é que quatro grandes bancos (EUA, França, Inglaterra e Alemanha) colaborem e participem no mesmo sistema”.

O Banco de Compensações Internacionais pretende dominar o mundo

Segundo Daniel Estulin, “os alvos e vítimas mais óbvios e fáceis são os países do Terceiro Mundo, uma vez que a elite mundial não lhes permitiria possuir a quantidade suficiente de alimentos, obrigando essas populações a dependerem dos EUA para conseguirem as matérias primas chave. Devido a que o valor do dólar é manipulado pela elite, os países em vias de desenvolvimento seriam obrigados a resumirem as suas exportações ao açúcar, frutas e verdura. Com as divisas obtidas dessas exportações, podem importar dos EUA e pagar as dívidas e juros acumulados contraídas ao Banco Mundial e ao Fundo Monetário Internacional, o que criaria um ciclo sem fim de créditos, dívidas e escravidão”.

Afirma Ellen Brown que “de certa maneira, podemos dizer que o Banco de Compensações Internacional é o banco central do mundo: tal como um banco normal, empresta e proporciona liquidez financeira a outros bancos, mas na realidade é o regulador financeiro a nível mundial e provavelmente continuará a sê-lo”.

“É bastante difícil dizer quem está por detrás deste esquema, apenas existem suspeitas: muito provavelmente são os mesmos que assistem às reuniões do Clube Bilderberg. Tem o seu epicentro em Wall Street e na City de Londres, controladas pelos grandes banqueiros. Por detrás desses existem alguns nomes que se suspeita serem os verdadeiros manipuladores do assunto”. Acrescentando que esses grandes banqueiros têm uma agenda secreta de dominação mundial.

“O plano é que os bancos públicos corporativos comunitários desapareçam, enquanto os grandes grandes privados se encontram em plena expansão. Tudo está ao serviço da grande banca internacional”, clarificou, especificando que o Banco de Compensações Internacionais tenta apropriar-se e dominar todo o planeta, obrigando as nações a endividarem-se, obrigando-as a submeterem~se a este poderoso cartel financeiro internacional.

“Estes grandes banqueiros pretendem ser os proprietários do mundo, de uma forma privada. Essa é a sua agenda e já ultrapassaram um longo caminho para o conseguir”, declarou a presidenta  do Instituto da Banca Pública.

Como conclusão, Daniel Estulin afirmou que “o papel fundamental do Banco de Compensações Internacionais põe em evidência uma dimensão crítica do regime ditatorial universal, a estrutura piramidal do supra-mundo financeiro e dos respectivos tecnocratas bancários. Entregar o nosso dinheiro nas mãos das pessoas que manipulam o mundo poderia levar a uma guerra perpétua e ao extermínio”.

Fontes:

RT.TV

Wikipédia

Send to Kindle
More from blog

One Response to “Daniel Estulin: “O Clube Bilderberg pretende controlar o sistema financeiro mundial, ao modo feudal””

  1. Wilson disse:

    São todos malucos….pensam q aqui morremos de fome…. Nós não somos o q pensam….somos a raça mais adpatada do planeta. Vçs morrerão w nós estaremos aqui

Voltar ao início